Programa

DIA 18

9.30 – Abertura

Sala:

Representante da FCSH

Representante do ICNOVA

Representante do IHC

Representante da Comissão Organizadora

 

10.00 – Sessão inaugural

Sala:

Moderador: Francisco Rui Cádima (ICNOVA)

Mário Mesquita (ESCS) – O corte revolucionário nos media em Portugal  e ´o efeito de atraso’ nas teorias da comunicação

Jaume Guillamet (UPF) – Continuidad y cambio. La contribución de los medios a la transición española

 

11.00 – Pausa para café

 

11.30 – Sessão plenária 1: RTP: 59 Anos de Telejornal

Sala:

Moderadora: Maria Inácia Rezola (IHC-NOVA; ESCS-IPL)

Felisbela Lopes (CECS/UM) – Telejornal, um noticiário que nasce em 1959 analisado 59 anos depois

Comentário: 

 

12.30 – Pausa para almoço

 

14.30 – Sessão plenária 2 – A Imprensa na ditadura e na democracia

Sala:

Moderadora: Carla Baptista (ICNOVA)

Ana Cabrera (FCSH/IHC) – Poder e Imprensa no Estado Novo

Helena Lima (FLUP) – A imprensa nas primeiras eleições democráticas de 1975

 

15.30 – Sessão plenária 3 – A Rádio na ditadura e na democracia

Sala:

Moderadora: Helena Lima (FLUP)

Rogério Santos (CECC-UCP) – “Entregar os textos 48 horas antes da emissão, como está regulamentado”. Elementos para o estudo da censura à rádio em Portugal

Ana Isabel Reis (FLUP/ICNOVA) – Do 25 de abril às piratas: a Rádio de microfone aberto

 

16.30 – Pausa para café

 

16.45 – Sessões Paralelas

 

DIA 19

 

10.00 – 11.30 – Sessões Paralelas

 

11h30 – Pausa para café

 

11.45 – 12.45 – Sessão plenária 4 – A Televisão na ditadura e na democracia

Sala:

Moderador: Jacinto Godinho (ICNOVA-FCSH)

Francisco Rui Cádima (ICNOVA-FCSH) – Salazar, Caetano e a instrumentalização da televisão

Maria Inácia Rezola (FCSH/IHC e ESCS/IPL) – Romper com o passado: por uma televisão “do povo” e “para o povo”. A RTP na Revolução de 1974-1975

 

12.45 – Pausa para Almoço

 

14.30 – Sessão plenária 5 – Estudos dos media

Sala:

Moderador: Sílvia Torres (ICNOVA-FCSH)

Jacinto Godinho (FCSH/ICNOVA) – O Telejornal da RTP mostrou o Maio de 68 e escondeu a Crise Académica de 69. Porquê?

Carla Baptista (FCSH/ICNOVA) – A televisão revolucionária (1974-76). Análise de alguns programas de informação político-social

Júlia Leitão de Barros (FCSH/IHC e ESCS/IPL) – Fontes que falam

Jorge Pedro Sousa (UFP e ICNOVA) – Contributo ao levantamento e sistematização das obras historiográficas portuguesas sobre jornalismo: a necessidade de uma história do jornalismo português

 

16.30 – Pausa para café

 

17.00 – Sessão de encerramento: evocação a José Manuel Tengarrinha

Anúncios